Sentra Agora Com Motor Flex E Mais Itens De Série

Quarto modelo Nissan bicombustível chega às concessionárias de todo o Brasil

O Sentra Flex começa a chegar às concessionárias Nissan do país com novidades que deixam seu custo-benefício ainda melhor. O sedã médio produzido no México traz novos equipamentos de fábrica, tampa do porta-malas redesenhada e novo motor 2.0 16V desenvolvido para o uso com gasolina e álcool em qualquer proporção – o único flex do mercado equipado com a transmissão CVT. Estas atualizações deixam o modelo ainda mais competitivo e adequado às necessidades do mercado brasileiro. Oferecendo muito conforto, belo design e performance excelente, o Sentra Flex terá três versões de acabamento, com preços públicos sugeridos começando em R$ 55.290.

A principal novidade do Sentra Flex está sob o capô. Produzido no México especialmente para atender ao mercado brasileiro, o motor 2.0 16V, elogiado por consumidores e pela imprensa especializada pelo seu excelente desempenho, agora é bicombustível. Assim, ele recebeu nova central eletrônica (ECU), fornecida pela Bosch, e componentes internos que resistem à ação corrosiva do álcool. Entre estas novas peças estão as válvulas de admissão e de exaustão e os vedadores produzidos com novos materiais, o primeiro anel dos pistões em aço anodizado, as bielas mais resistentes, os injetores de combustível adequados à utilização do etanol e a sonda lambda com dupla camada para aumentar a resistência à umidade do combustível vegetal. Todas estas mudanças elevaram a potência do propulsor de 142 para 143 cavalos, tanto quando abastecido com gasolina como com álcool.

Este motor de alumínio de quatro cilindros e 16 válvulas é da mesma família do 1.8 16V que equipa as linhas Livina e Tiida. As três versões de acabamento do Sentra – 2.0, 2.0 S e 2.0 SL - utilizarão o propulsor bicombustível, que tem como destaque o sistema CVVTCS (de Continuosly Variable Valve Timing Control System, ou variação da abertura das válvulas através de variador de fase). Este sistema faz com que a eficiência seja a mesma em qualquer regime de rotação, oferecendo respostas mais precisas do acelerador, maior rendimento com economia, melhor queima de combustível e, em consequência, redução das emissões de poluentes. Sua curva de torque é constante e muito suave desde as rotações mais baixas, dando ao motorista a percepção da força do motor. Extremamente elástico, conta com reserva de força em qualquer rotação, alcançando 90% de seu torque máximo até 2.400 rpm. Tudo isso faz do Sentra um carro gostoso de dirigir.

O Sentra 2.0 Flex Fuel conta com duas opções de transmissão. As versões 2.0 e 2.0 S utilizam o câmbio manual de seis marchas, enquanto o XTRONIC® CVT com função overdrive é item de série na 2.0 SL (opcional na 2.0 S). "O CVT é um câmbio muito moderno, que proporciona trocas de marchas sem trancos e economia de combustível em relação à opção manual, já que trabalha sempre na faixa de rotação ideal", afirma Anderson Suzuki, Gerente de Planejamento de Produto. Com a mudança do motor, o Sentra passa a ser o único modelo bicombustível equipado com este tipo de transmissão do mercado.

A transmissão manual de seis marchas, por sua vez, dispõe de sincronizadores de cone triplo para a 1ª e 2ª velocidades, que deixam as mudanças mais precisas. E quando a 6ª marcha está engatada, os ocupantes não ouvem tantos ruídos na cabine, já que esta velocidade entra em uma rotação mais baixa, o que permite também menor consumo de combustível.

O tanque de partida a frio está localizado no interior do compartimento do motor. Ao contrário da maior parte dos concorrentes, o bocal de abastecimento deste subtanque é protegido por uma caixa plástica. A tampa abre no sentido do motor para não haver riscos de derramamento de combustível nos componentes periféricos. Além da questão da segurança, a solução adotada pela Engenharia da Nissan evita que odores fortes de gasolina sejam sentidos na hora do abastecimento.

BELEZA APRIMORADA

O belo design criado pelo Nissan Design America, na Califórnia, Estados Unidos, para esta geração do Sentra foi muito elogiado desde seu lançamento – até hoje o modelo teve 16,2 mil unidades vendidas no mercado brasileiro. De proporções marcantes, acentuadas pelo teto suavemente curvo, pela traseira alta e curta e pela dianteira agressiva, o Sentra não lembra nem um pouco a sobriedade que os modelos do segmento costumam ter. Para a linha Flex, o design foi aperfeiçoado com o novo desenho da tampa traseira. Para ficar mais atual, a área do porta-placa foi ampliada e os nomes "Sentra" e da versão estão em uma posição superior. Todas as versões também ganharam o logotipo "FLEX FUEL" para identificar a nova motorização.

MAIS EQUIPADO

O Nissan Sentra Flex incorpora novos equipamentos de série, que oferecem mais conforto e tecnologia aos consumidores e ampliam o custo-benefício. Entre as principais novidades estão os retrovisores rebatíveis, tanto para frente como para trás, item disponível em todos os acabamentos do modelo. Outros equipamentos padrão em todas as versões são o travamento automático das portas sensível à velocidade e a proteção interna do porta-malas em carpete. "A maioria dos consumidores entende que um sedã deve ter prioritariamente, entre outros itens, um belo design, bom custo-benefício, conforto e desempenho. O Sentra sempre ofereceu tudo isso que aliado ao novo motor Flex e os novos equipamentos da linha o tornam ainda mais atraente como opção de compra", afirma Mário Furtado, Gerente de Marketing – Produto. Confira quais são as outras novidades de cada versão:

2.0
Novo desenho da tampa traseira
Subtanque de partida a frio
Nova roda aro 16"" em aço e com novas calotas integrais
Novos tecidos em veludo padrão europeu (os mesmos utilizados no sedã Máxima)

2.0 S
Todos da 2.0 mais:

Nova pintura das rodas em liga leve aro 16"
Rádio CD Player com leitor de mp3 e entrada auxiliar para mp3/iPod®

2.0 SL
Todos da 2.0 S mais:

Controle de áudio no volante
Costura do couro do volante na cor preta

UM SEDÃ ÚNICO

Desde a versão de entrada, o Nissan Sentra vem equipado com itens de conforto e de segurança não encontrados nos demais sedãs médios à venda no país. Somente o Nissan oferece no segmento itens como a transmissão continuamente variável XTRONIC® CVT, sistema de som Premium Rockford Fosgate, air bags laterais e de cortina e o sistema Divide-N-Hide®, que permite ocultar ou separar bagagens no interior do porta-malas. O Sentra conta ainda com recursos que se adaptam às necessidades do dia-a-dia dos ocupantes, como os difusores de ar do pára-brisa que abreviam a operação de desembaçamento do vidro. O ar-condicionado tem um compressor variável para tornar mais rápida a refrigeração da cabine. Os materiais do acabamento e o capricho na finalização também são pontos a se destacar.

Para acomodar os diversos objetos de uso diário da vida moderna, o Sentra conta com nichos e gavetas. Os porta-copos são distribuídos no console central e no descansa braço do banco traseiro e têm ajuste para fixar recipientes de 500 ml a 1 litro. No apoio de braço regulável entre os bancos dianteiros há um compartimento com 4,8 litros de capacidade para guardar Cds, Dvds e revistas. No teto, há outro espaço para acomodação de mais oito Cds. O porta-luvas com chave tem capacidade para até 12 litros.

Uma das exclusividades do segmento, o sistema "Divide-N-Hide®" é uma divisória removível no interior do porta-malas, que serve para ocultar ou separar a bagagem. Quando rebatida, a funciona como uma superfície plana para acomodar objetos úmidos (roupas molhadas ou sacos de gelo). O banco traseiro conta com encosto bipartido que, rebatido, forma uma superfície plana para acomodar objetos para o transporte, dando ao modelo uma modularidade de monovolume. Os encostos de cabeça são rebatíveis para melhorar a visibilidade do motorista quando não há passageiros atrás.

Primeiro automóvel da marca na categoria desenvolvido para as Américas, o Sentra atende aos mais altos padrões de qualidade e de segurança exigidos em mercados rigorosos como Estados Unidos e Canadá. Nos testes da National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA), agência que regula a segurança no trânsito norte-americano, o sedã da Nissan recebeu cinco estrelas em proteção para motorista e passageiro nos testes de colisão frontal e lateral. Foi o único do segmento a ter o grau máximo nestes ensaios

Boa parte destes excelentes resultados pode ser creditada à sua estrutura extremamente reforçada, composta por um subchassi para sustentação do motor e do conjunto de suspensão dianteira. Além de filtrar mais as vibrações, esta solução aumenta a segurança do modelo. A carroceria tem zonas de deformação programada e não há elementos contundentes que possam ferir pedestres, conforme as exigências do mercado americano, e todos os passageiros contam com cintos de segurança de três pontos. O Sentra é construído sobre a plataforma C da Aliança Renault-Nissan, a mesma do X-TRAIL, Rogue e do Qashqai.

A Nissan não pensou apenas na segurança e design quando criou esta geração do Sentra. A ergonomia e o conforto também foram privilegiados. Assim, a alavanca de câmbio fica próxima ao painel e os inúmeros ajustes do banco do motorista facilitam a tarefa de encontrar a posição mais confortável para o motorista. O assento do banco do motorista pode ser elevado em até 60 milímetros, sua posição mais elevada, e o volante de três raios conta com regulagem de altura. Todos os comandos são intuitivos, de fácil alcance, deixando o motorista preocupado somente com o trânsito. A excelente altura do teto permite que cinco pessoas de qualquer estatura viajem com muito conforto, sem apertos. O prazer acústico é outro destaque do sedã. As soluções aerodinâmicas e o emprego maciço materiais de isolamento acústico tornam o Sentra um referência em baixo nível de ruído interno.

TRANSMISSÃO DIFERENCIADA

A Nissan investe no câmbio CVT, do inglês "transmissão continuamente variável", desde 1992, quando empregava a tecnologia somente em veículos com motor de baixa capacidade cúbica. Atualmente o sistema CVT está na terceira geração, e equipa mais de 3,5 milhões de unidades de modelos da Nissan. Com menos componentes móveis dentro da caixa de transmissão, já que o XTRONIC® CVT opera basicamente com duas polias e uma correia, a vida útil do sistema é maior que a das transmissões convencionais que trabalham com múltiplas engrenagens.

O CVT tem muitas vantagens sobre as caixas automáticas convencionais. A começar pela economia de combustível. Medições feitas pela Nissan demonstraram que a transmissão automática convencional pode elevar o consumo em até 10% quando comparada com a caixa manual. Com o XTRONIC® CVT, a melhora é de até 7%, sempre em comparação com o mesmo carro equipado com câmbio manual de seis velocidades. Em relação às transmissões automáticas convencionais dos concorrentes, esta economia de consumo é de até 19%. O principal motivo para esta economia são as relações de marcha praticamente infinitas, que trabalham sempre dentro da faixa ideal de rotação do motor.

São essas características que passam ao motorista a sensação de condução mais direta, sem interferências mecânicas. Assim, a performance do Sentra XTRONIC® CVT é excelente nas acelerações e nas retomadas. As mudanças de redução são feitas através de engrenagem cônica, de forma que não se percebe as trocas de marcha, melhorando a dirigibilidade. Para as retomadas de velocidade, basta aliviar a pressão sobre o acelerador por instantes e voltar a acelerar – a resposta é imediata. No Brasil, o Sentra é único sedã médio a oferecer esta opção transmissão.

A caixa de manual de seis marchas tem escalonamento adequado às condições de trânsito no Brasil. Assim, a primeira velocidade é bem curta enquanto as duas últimas são mais longas, proporcionando velocidade de cruzeiro com conforto e economia de combustível, além de amenizar muito o nível de ruídos internos. Além de economia, a sexta marcha faz o motor girar em baixos regimes de rotação, garantia de menor consumo vibração e ruído. "É um câmbio de operação muito simples e baixa manutenção", destaca Anderson Suzuki.

O conjunto de suspensão foi adaptado às condições de rodagem do Brasil, e é formado pelo sistema independente McPherson com barra estabilizadora na dianteira e por eixo de torção com barra estabilizadora na traseira, mesma configuração da linha Livina. Os amortecedores contam ainda com dispositivo de controle de ondulação, ripple control, que eliminam as vibrações transmitidas por depressões ou obstáculos.

Para garantir um produto final nos rígidos padrões exigidos pela Nissan para seus produtos, o Nissan Sentra é produzido em Aguascalientes, no centro do México, uma das três fábricas mais eficientes da marca japonesa em todo o mundo. Boa parte da produção desta unidade é destinada ao mercado dos Estados Unidos, um dos mais exigentes mercados do mundo. Para a fabricação do Sentra e do Tiida, a fábrica recebeu investimentos de investimentos de US$ 1,3 milhão.

MERCADO E PREÇOS

O Sentra Flex concorre no segmento M1 (carros médios), que engloba modelos de diferentes tipos de carroceria e tamanho, como sedãs, monovolumes, hatches e peruas médias e corresponde a 15% das vendas totais do mercado interno. Os concorrentes diretos do modelo da Nissan, no entanto, são os sedãs médios Honda Civic, Toyota Corolla, GM Vectra, Citroën C4 Pallas, Peugeot 307 Sedan, Ford Focus Sedan e Renault Mégane, que são responsáveis por 80% das vendas do segmento M1. A Nissan espera vender 500 unidades por mês do Sentra Flex até o fim deste ano. Para atingir este objetivo o Sentra, além das novidades incorporadas, tem preços muito competitivos. Confira a seguir quanto custa cada versão do Sentra Flex:

* 2.0 (câmbio 6 marchas): R$ 55.290
* 2.0 S (câmbio 6 marchas): R$ 60.090
* 2.0 S (XTRONIC® CVT): R$ 65.090
* 2.0 SL (XTRONIC® CVT): R$ 72.890

Voltar ao Topo

Issued by Nissan